O que a Pixar pode ensinar para sua empresa?

Matriz BCG: Aprenda a usar e os cuidados com ela.
18 de maio de 2022
Endomarketing: porque seus colaboradores também merecem
18 de maio de 2022

Postado originalmente dia 15/08/21

Pode não parecer, mas a Pixar carrega em seu DNA a inovação e a capacidade de gerar sempre produtos de sucesso.
Isso não é por acaso, nem por causa de uma seleção de gênios, nada disso.
A Pixar tem um método para criar inovação e gerar produtos de qualidade de forma industrial, e é sobre este método que vamos falar hoje.

As dicas que vamos dar são apresentadas no livro Criatividade SA, de Ed Catmull, e aqui elas estão apresentadas de forma resumida.
Recomendamos fortemente a leitura do livro, pois você obterá ainda mais insights e informações.

Como funciona o método Pixar?

O método Pixar é a inspiração para o que hoje em dia se chama de Lean Startup, conceito utilizado por muitas empresas inovadoras e de grande impacto no mercado atual.
O processo é todo centrado na fluidez de ideias em busca de produtos interessantes, com um único grande censor: a qualidade.
O que isso significa? Significa que as ideias são testadas de forma simplificada, o que recebeu o nome de MVP (minimum value product, ou produto de valor mínimo), e já submetida a testes de qualidade para verificar a possibilidade de sucesso dentro do mercado.
Na Pixar, esse MVP é chamado de “bebê feio”, onde as histórias em animação são contadas em storyboards simples, sem grandes artifícios.
Se a história convencer o diretor artístico do estúdio neste formato simplificado, é dado o “sinal verde” para que os recursos do estúdio sejam oferecidos para que a ideia seja levada adiante.
A partir daí, o diretor tem autonomia de dirigir o filme da forma que preferir, embora o filme precise atender as diretrizes do estúdio, além de estar em constante avaliação e feedback dos outros diretores e do resto da equipe.
Esta é outra característica interessante da Pixar: existe uma liberdade de expressão muito grande, sendo que muitas pessoas são estimuladas a opinar inclusive fora de suas expertises. Ou seja, se alguém acredita que pode acrescentar algo ao projeto por meio de uma sugestão, ela é estimulada a fazê-lo.
O último detalhe, que torna esse sistema ainda mais interessante, é o que acontece quando um projeto começa a dar problemas.
Sempre que um projeto começa a receber feedbacks constantes a respeito de uma questão e o diretor não é capaz de apresentar uma boa solução para a questão, existe a possibilidade de uma intervenção para que o projeto não seja perdido.
Um outro diretor pode ser escalado para terminar o projeto ou, se o sentimento for de que nada mais é possível para salvar o projeto, ele é simplesmente cancelado, antes de cause mais prejuízos para o estúdio.


Eu consigo aplicar a filosofia Pixar na minha empresa?


A aplicação do Método Pixar pode ser um grande desafio para empresas de cultura mais tradicionais, mas sem dúvida vai compensar o esforço.
Dessa forma, é muito interessante a ideia de dividir a empresa em equipes, que vão funcionar como se fossem pequenas empresas independentes, e entregar os projetos para que elas desenvolvam.

Em diversos mercados, especialmente aqueles em que a criatividade é um ponto fundamental, esse tipo de possibilidade pode aumentar os rendimentos da empresa, fazer com que ela se torne inovadora e ainda dar a ela a chance de se renovar.
O que você acha dessa forma de atuação? Gostou desse conceito? Comente conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.